Algumas mudanças no manual DSM-V

DSMO DSM-V, Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, foi publicado no mês de maio passado pela APA, American Psychiatric Association, conforme noticiamos anteriormente. O manual lista os sintomas específicos a serem atribuídos aos diversos distúrbios mentais.
O DSM-V estabelece o padrão quase universal pelo qual os médicos e profissionais da área de saúde mental classificam, diagnosticam e tratam os transtornos mentais. Hoje apresentamos algumas das novidades e revisões mais significativas, publicadas no DSM-V.
O sistema multi-eixos introduzido no DSM-III foi eliminado. Agora não existe mais o Axis-II: os distúrbios de personalidade são considerados da mesma maneira que outras categorias.
Os critérios para várias categorias, particularmente transtorno de ansiedade generalizada e transtorno de deficit de atenção e hiperatividade (ADHD), foram ampliados, o que provavelmente levará a diagnósticos mais freqüentes.
A exclusão do luto para o diagnóstico da depressão maior foi eliminada.
Os distúrbios de uso de substância passam a ser descritos com o termo “adição” e não há mais a distinção entre “dependência” e “abuso”.
Crianças excessivamente agressivas podem agora ser diagnosticadas como tendo transtorno de regulação de disposição desordeira (disruptive mood regulations disorder).
Distúrbios do Espectro do Autismo (Autism spectrum disorders) agora inclui tanto o Autismo clássico como a Síndrome de Asperger.
As demências passam a ser classificadas como distúrbios neurocognitivos e classificadas por níveis de gravidade.

Advertisements

Comments are closed.

%d bloggers like this: